Boletim da dengue: Pinda chega a 3.353 casos em 2024

O Boletim da Dengue, divulgado nesta quinta-feira (22), pela Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba, contabilizou 3.353 casos da doença no ano de 2024.
Os dados se referem a resultados positivos registrados até o dia 17 de fevereiro deste ano. No mesmo período do ano passado foram 53 casos e em todo o ano de 2023, 2.507 confirmações da doença.
Atualmente, os bairros com maior número de casos são Ipê, Vila São Benedito, Mantiqueira, centro de Moreira César e Pasin, que juntos somam 1.040 casos, representando 31% do total.
O boletim traz ainda dois casos de chikungunya - doença que também é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e as duas mortes confirmadas por dengue no mês de janeiro de 2024.
Para combater o mosquito transmissor da doença, a Secretaria de Saúde tem intensificado as ações em toda a cidade e alertado a população para eliminar água parada. Esta semana, por exemplo, o município iniciou parceria com o exército, realizando limpeza por ruas do Distrito de Moreira César. “Estamos em uma época de muitas chuvas, registrando volume acima do normal. O grande volume de águas, aliado às elevadas temperaturas, gera condições ideias para a proliferação do mosquito da dengue, especialmente em locais onde existem objetos ou itens que podem acumular água. Desta forma, além do serviço da Prefeitura em parceria com o Exército para limpeza, para posterior nebulização, precisamos da colaboração dos moradores, para que eliminem água parada dos seus quintais. Se entrarmos em um imóvel hoje e fazermos todos os serviços necessários e o proprietário não der a devida atenção, em menos de um mês o local terá novos focos do mosquito", alertou o diretor de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, André Pereira.

Boletim da dengue: Pinda chega a 2.955 casos em 2024

Boletim da dengue: Pinda chega a 2.955 casos em 2024

O Boletim da Dengue, divulgado nesta quinta-feira (15), pela Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba, contabilizou 2.955 casos da doença no ano de 2024.
Os dados se referem a resultados positivos registrados até o dia 10 de fevereiro deste ano. No mesmo período do ano passado foram 34 casos e em todo o ano de 2023, 2.507 confirmações da doença.
Atualmente, os bairros com maior número de casos são Ipê, Vila São Benedito, Pasin, Mantiqueira e centro de Moreira César, que juntos somam 878 casos: 29,8% do total.
O boletim traz ainda dois casos de chikungunya - doença que também é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e as duas mortes confirmadas por dengue no mês de janeiro de 2024.
Para combater o mosquito transmissor da doença, a Secretaria de Saúde tem intensificado as ações em toda a cidade e alertado a população para eliminar água parada. “É o período propício para acúmulo de água parada e, consequentemente, para proliferação do mosquito transmissor da dengue. Desta forma, além das ações da Prefeitura, com equipes eliminando os focos criadouros do mosquito, fazendo nebulizações e bloqueios, precisamos da colaboração dos moradores. Se entrarmos em um imóvel hoje e fazermos todos os serviços necessários e o proprietário não der a devida atenção, daqui um mês o local terá novos focos do mosquito. É um trabalho que deve ser feito toda semana e só venceremos essa guerra contra a dengue com o apoio da população”, alertou o diretor de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, André Pereira.

Saúde de Pinda e Exército vão alinhar ações de combate à dengue

Saúde de Pinda e Exército vão alinhar ações de combate à dengue

A Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba vai realizar uma reunião com o comando da Guarnição Federal do Exército para alinhar as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue. Um encontro deve ser agendado ainda esta semana entre membros do setor de Controle de Vetores, Subprefeitura de Moreira César e o comando da unidade do Exército para definir os trabalhos a serem realizados pela cidade.
“Estamos traçando nosso plano estratégico para aumentarmos a área de cobertura para eliminação do mosquito da dengue. A participação do Exército, juntamente com equipes da Secretaria de Governo e Subprefeitura, será essencial para ampliarmos as zonas de limpeza e, consequentemente, termos mais eficiência na aplicação de inseticidas contra o mosquito”, disse o diretor de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, André Pereira.
A secretária de Saúde, Silvia Mendes, explicou que “definidos os bairros e o plano de ação, o trabalho conjunto entre Prefeitura e Exército vai se iniciar imediatamente. A expectativa é que tenhamos esse reforço do Exército às nossas equipes já na próxima semana. Agradecemos ao Exército Brasileiro pelo suporte e, novamente, pedimos a colaboração dos moradores para que eliminem água parada”, afirmou Silvia.

Prefeitura de Taubaté realiza pregão para aquisição de testes de dengue

Prefeitura de Taubaté realiza pregão para aquisição de testes de dengue

No próximo dia 26, a Prefeitura de Taubaté realiza a abertura dos envelopes do pregão 08/24 para aquisição de testes de dengue NS1, em um valor total estimado em R$ 55.600,00. Vence o processo licitatório a empresa que oferecer o menor custo unitário do teste.

Os itens devem possuir registro na Anvisa e, em se tratando de produtos com prazo de validade, o produto deverá ter validade mínima de 18 meses no ato da data de entrega.

O NS1 é um teste qualitativo para detecção de antígenos NS1- vírus da dengue em uma mostra de sangue total capilar, no soro ou no plasma do paciente e será disponibilizado nas Unidades de Urgência e Emergência, para realização até o 3º dia de sintoma.

Após o 6º dia, a população deve se dirigir para atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), para a realização de um teste de sorologia.

A aquisição dos testes rápidos NS1 se faz necessária devido aos testes serem utilizados para detecção precoce dos casos positivos de dengue, possibilitando ações de campo oportunas no combate ao vetor. O uso desses testes faz com que haja agilidade no fluxo de informações de Vigilância Epidemiológica em relação ao trabalho de campo e controle dos casos positivos e negativos, contribuindo assim para elaboração de estratégias de enfrentamento à doença.

 

 

Pinda e Defesa Civil do Estado participam de ação contra dengue no centro da cidade

Pinda e Defesa Civil do Estado participam de ação contra dengue no centro da cidade

Pindamonhangaba realizou uma grande ação contra a dengue no centro da cidade, nesta sexta-feira (6). A iniciativa contou com membros de diversas secretarias da Prefeitura, principalmente da Saúde, com equipes do setor de controle de vetores, além da Defesa Civil da cidade e do Governo do Estado de São Paulo, Guarda Civil Metropolitana e agentes de trânsito.
A ação foi motivada pelo Decreto Municipal 6568/24, anunciado pelo prefeito Dr. Isael Domingues, na terça-feira (6), o qual declara situação de emergência e alerta epidemiológico no município devido ao elevado número de notificações dos serviços de saúde para quadros clínicos de dengue.
Somado ao decreto municipal, foi publicado no Diário Oficial do Estado, também em 6 de fevereiro de 2024, o Decreto 68.326, que institui o Centro de Operações de Emergências – COE contra as arboviroses urbanas. Por isso, a Defesa Civil do Estado entrou em contato com Pindamonhangaba oferecendo apoio nas ações locais contra o mosquito da dengue.
Este ano, por exemplo, Pindamonhangaba chegou a 2.502 casos. Como base de comparação, em 2023 foram 2.507 casos em todo o ano.
O serviço conjunto começou com panfletagem e orientações a pessoas que passavam pelo centro da cidade, inclusive com blitz de trânsito na região da Praça Monsenhor Marcondes.
Na sequência fizeram orientações no comércio e se dirigiram a um imóvel também na região central para instruções a uma moradora, procura por focos criadouros do mosquito e aplicação de inseticida.
Com auxílio do drone da Defesa Civil do Estado e da Defesa Civil de Pindamonhangaba, os agentes puderam analisar os locais com maior probabilidade de acumular água parada e servir como foco para proliferação do mosquito.
De acordo com tenente Maxwell de Souza, da Defesa Civil do Estado, “o órgão faz o monitoramento de todos os casos de dengue do Estado e Pindamonhangaba entrou em estado de epidemia, o que requer uma ação incisiva por parte do Poder Público. Com isso, estamos fazendo vistorias em espaços públicos e visitando as residências, realizando a nebulização com inseticida e orientação aos moradores. Também estamos distribuindo panfletos pela região central, para que as pessoas entendam a responsabilidade delas nesta guerra contra o mosquito da dengue. É importante que os moradores saibam que 80% dos focos do mosquito da dengue estão nas residências”.
O diretor da Defesa Civil de Pindamonhangaba, Michel Cassiano, agradeceu à Defesa Civil do Estado pelo apoio. “Agradecemos o suporte que tivemos da Defesa do Estado e estamos à disposição das equipes da Saúde de Pinda para trabalharmos de forma conjunta em todas as ações que visam a eliminação dos focos do mosquito da dengue”.
A secretária de Saúde, Silvia Mendes, que participou da ação, destacou os trabalhos da Prefeitura, “que incluem campanhas, orientação da população, bloqueio, nebulizações, além da limpeza de terrenos e imóveis”. Silvia também ressaltou que os agentes de controles de vetores de Pindamonhangaba vão trabalhar normalmente durante o carnaval, com enfoque nos bairros do Castolira e Andrade.
O vice-prefeito e secretário de Governo e Serviços Públicos, Ricardo Piorino, também participou da iniciativa e pediu a colaboração dos moradores. “É uma situação delicada em todo o Estado de São Paulo e em Pindamonhangaba não é diferente. Temos realizado todas as ações que estão a nosso alcance, mas ressaltamos mais uma vez a necessidade da colaboração dos moradores, para que evitem deixar água parada, para eliminarem os focos criadouros do mosquito e para abrirem suas residências para a visita dos nossos agentes. Só com a participação de todos é que poderemos obter sucesso no combate à dengue”, finalizou Piorino.

Secretaria de Saúde alerta sobre infecções que podem agravar dengue

Secretaria de Saúde alerta sobre infecções que podem agravar dengue

Com o aumento dos casos de dengue em Pindamonhangaba, foi decretada, na última teça-feira (6), situação de emergência e alerta epidemiológico. Apesar de toda campanha de conscientização, alguns cuidados precisam ser intensificados, como é o caso da saúde bucal.
Segundo a Secretaria de Saúde, durante os períodos de infecção viral, como a dengue, o diagnóstico precoce desempenha um papel fundamental no tratamento, e as manifestações orais podem ser indicativas da doença, facilitando a avaliação clínica e prevenindo complicações. Além disso, vale ressaltar que a dengue, assim como outras infecções virais, pode causar uma queda no sistema imunológico do hospedeiro pela sobrecarga no combate ao vírus e deixar o organismo mais susceptível a infecções oportunistas. Sendo assim, a doença pode agravar um quadro de infecção odontogênica tornando o seu tratamento mais complexo.
Por isso, o indivíduo que tem uma boa saúde bucal, em alguns casos, consegue identificar com mais facilidade sintomas que podem ser provenientes da doença.
O dentista Dr. Diego Rabello, que atua na UBS da Vila São Benedito, ressalta a importância de cuidados especiais durante infecções virais como dengue, zika ou chikungunya. Segundo ele, "é crucial adotar medidas especiais para manter uma boa higiene oral e prevenir complicações adicionais". Para preservar a saúde bucal durante o curso dessas infecções, Dr. Diego enfatiza alguns cuidados fundamentais:
Escovação Eficiente: Utilize uma escova de cerdas macias e pasta de dente com flúor. Escove os dentes, a língua e as gengivas suavemente, pelo menos duas vezes ao dia.

Equipes de combate à dengue vão intensificar trabalhos durante o feriado

Equipes de combate à dengue vão intensificar trabalhos durante o feriado

Os agentes do controle de vetores de Pindamonhangaba vão trabalhar durante os pontos facultativos de carnaval normalmente. A medida é necessária devido à grande quantidade de casos em Pindamonhangaba, que chegou a 2.502 no ano de 2024 - praticamente a mesma quantidade registrada em todo o ano de 2023, que fechou com 2.507.
Os agentes de vetores vão continuar o trabalho que vem sendo intensificado nos últimos meses, principalmente com ações de bloqueio, nebulização residencial, nebulização pesada veicular, análise de ADL e orientação à população.
Para a segunda-feira e a terça-feira de carnaval, por exemplo, a previsão da equipe de controle de vetores é retornar ao Andrade e ao Castolira. “Estamos fazendo uma varredura em toda a cidade e principalmente em locais que estão com elevada incidência de casos. Após o serviços nesses dois locais é que definiremos outros bairros para atuar. É um serviço que é avaliado duas vezes por semana e montamos o planejamento de acordo com a necessidade de cada local”, explicou o diretor de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, André Pereira.
No ano de 2024, por exemplo, foram realizadas ações de ações de bloqueio a transmissão da dengue em 25 bairros, sendo 12 em Moreira César, mais de 8.000 visitas em residências, entre bloqueios, análise de ADL, pontos estratégicos e imóveis especiais; 2.200 casas nebulizadas, e cinco bairros com nebulização pesada veicular, como Mantiqueira, Ipê 1, Jardim Carlota, Liberdade 1 e Andrade, sendo o Mantiqueira e Ipê 1 já com a segunda aplicação.
“É um trabalho conjunto entre várias secretarias da Prefeitura. Além do pessoal da Saúde, estamos com um grande apoio da Subprefeitura de Moreira César e da Secretaria de Governo, que fazem limpeza em terrenos e imóveis, notificações da Administração, suporte da Educação com orientação aos alunos e pais, dentre outros. Pedimos também para a população colaborar, fazendo vistoria nos imóveis e facilitando a entrada dos agentes do controle de vetores na residências”, disse a secretária de Saúde, Silvia Mendes.

Boletim da dengue: Pinda chega a 2.502 casos em 2024

Boletim da dengue: Pinda chega a 2.502 casos em 2024

O Boletim da dengue, divulgado nesta quinta-feira (8), pela Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba, contabilizou 2.502 casos da doença no ano de 2024. Os dados se referem a resultados positivos registrados até o dia 4 de fevereiro deste ano.
Em 2023 foram 2.507 casos da doença durante todo o ano.
Atualmente, os bairros com maior número de casos são Ipê, Vila São Benedito, Pasin e centro de Moreira César, que juntos somam 835 casos: 33,4% do total.
O boletim traz ainda dois casos de chikungunya - doença que também é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e as duas mortes confirmadas por dengue no mês de janeiro de 2024.
Para combater o mosquito transmissor da doença, a Secretaria de Saúde tem intensificado as ações em toda a cidade e alertado a população para eliminar água parada. “Embora existam bairros onde a quantidade de casos de dengue esteja muito elevada e eles estejam recebendo atenção especial neste momento, gostaria de destacar que temos casos de dengue em todos os bairros. Desta forma, além dos esforços da Prefeitura, com equipes eliminando os focos criadouros do mosquito, fazendo nebulizações e bloqueios, precisamos da colaboração dos moradores. Se entrarmos em um imóvel hoje e fazermos todos os serviços necessários e o proprietário não der a devida atenção, daqui um mês é possível que o local tenha novos focos do mosquito”, alertou o diretor de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, André Pereira.

Pindamonhangaba decreta situação de emergência e alerta epidemiológico contra dengue

Pindamonhangaba decreta situação de emergência e alerta epidemiológico contra dengue

A Prefeitura de Pindamonhangaba decretou, na terça-feira (6), situação de emergência e alerta epidemiológico no município devido ao elevado número de notificações dos serviços de saúde para quadros clínicos de dengue. A assinatura do decreto foi realizada no gabinete do Executivo, pelo prefeito Dr. Isael Domingues, secretária de Saúde Silvia Mendes e secretário de Assuntos Jurídicos, Anderson Alves, com a presença também do diretor do Departamento de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, André Pereira e do chefe de divisão da Vigilância Epidemiológica Leonardo Martuscelli.
O Decreto Nº 6.568 está publicado no site oficial da Prefeitura, www.pindamonhangaba.sp.gov.br, na área destinadas a Leis e Decretos e tem validade até a estabilização da situação epidemiológica da doença.
De acordo com o prefeito de Pindamonhangaba, Dr. Isael Domingues, “o decreto foi realizado neste momento porque para sua efetivação é necessário um estudo epidemiológico comprovando a ascensão da quantidade de casos por quatro semanas ininterruptas, fato que ocorreu em Pindamonhangaba de acordo com os dados apresentados pela Secretaria de Saúde”.
Como referência, no mês de janeiro de 2024, por exemplo, foram registrados 1.930 casos da doença, contra 15 do mesmo período do ano passado. Em todo o ano de 2023 foram 2.507 casos.
Além disso, em dezembro de 2023, Pindamonhangaba registrou as duas primeiras mortes por dengue na cidade. Em janeiro de 2024 outras duas mortes foram confirmadas.
De acordo com a secretária de Saúde, Silvia Mendes, “o decreto é fundamental para potencializar as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue e uma série de ações e trabalhos da Secretaria de Saúde, principalmente levando em consideração a quantidade elevada de casos e a possibilidade de maior incidência de transmissão da doença, que pode ocorrer entre fevereiro e junho”.
A situação de emergência autoriza a adoção de todas as medidas administrativas necessárias à contenção da epidemia, principalmente aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços relacionados ao atendimento da situação emergencial.
O decreto também autoriza o município a agir com maior rigor em notificações e multas a proprietários de imóveis que se recusarem a colaborar com os agentes, impedindo visitas e ações de combate à dengue.
Dentre outras situações previstas no decreto estão a autorização para a Secretaria de Saúde para utilizar drones e demais ferramentas tecnológicas para realizar a fiscalização de imóveis de acesso impossibilitado, bem como eventuais remanejamentos de servidores públicos e prestadores de serviços da administração direta e indireta.
O diretor de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, André Pereira, ressaltou que “a Prefeitura está mobilizada em combater o mosquito transmissor da doença. Nos últimos meses intensificamos as ações de combate, com orientações a moradores, bloqueios, nebulização nos imóveis e nebulização veicular pesadas nas ruas em diversos bairros. Também temos ações em parceria com as secretarias de Governo e Subprefeitura para limpeza de imóveis e áreas públicas, de Administração para notificações, além de outras ações com praticamente todas as áreas da administração pública”, finalizou.

Go to top